Seguidores

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Como estão os seus pés?


Esses são meus!

Sabia que em cada pé você tem 26 ossos, 33 articulações e 112 ligamentos? Tudinho perfeitamente desenhados para a corrida.... e se você não tem dado atenção, está mais do que na hora de começar a olhar para os pés com muito mais carinho, né!!! Afinal eles lhe proporcionam quilômetros e mais quilômetros repletos de alegria!

Mas, como sempre existe um mas... lógico, os pés podem sofrer alguns “estragos” que podem começar desde o impacto no chão, tênis de corrida que não se ajusta bem, sem contar com bactérias, fungos e sabe lá mais o que encontrado dentro do tênis mal cuidado (nojento!) e até nos vestiários... (e dá-lhe Vodol!).

\0/

Pensando nisso, e fazendo aquela boa e velha pesquisa pela net, juntei alguns estragos (todos tem conserto, pode ficar tranquilo!!!) que sempre ouço por aí e vejo quando olho para os meus pés (lembro da minha ex companheira fasceíte e as unhas que já ficaram zuadas)... Dá um bizú!

Tendão de Aquiles ou calcâneo pode acontecer em 4 estágios evolutivos: tendinite (estágio inicial) é um processo inflamatório que leva a dor na face posterior do tornozelo. Essa inflamação, cronicamente, leva ao enfraquecimento do tendão, tornando-o suscetível a lesões parciais. Ele pode ficar inflamado devido ao uso excessivo e à falta de flexibilidade. Corredores jovens tendem a distender o tendão de Aquiles um pouco acima do calcanhar, mas à medida que o corredor fica mais velho, a tendinite costuma ocorrer mais para cima, onde o tendão se conecta à panturrilha.

E já que perguntar não ofende... Pode-se correr com isso? Xiii!!!! Não vai ser desta vez... neste caso, até a mais leve distensão do tendão pode resultar em ruptura parcial ou total, e aí já era!

Torção no tornozelo (quem é que nunca deu uma torcidinha no tornozelo, né!) super fácil de acontecer ainda mais correndo por essas ruas de nossas cidades. Podem acontecer ao pisar num buraco, tropeçar numa pedra, raiz de uma árvore, olho de gato... aquilo que a gente já sabe, já viu ou até já sentiu na pele.
Só que essas torções dão uma baita dor, incha pra burro e, ainda, pode causar ruptura ou estiramento dos ligamentos. Mal!

E, a pergunta: Pode-se correr com isso? Esqueçe! Sem chance! Correr com uma torção só vai piorar!

Pé de Atleta é uma infecção causada por fungos aparece abaixo no arco do pé ou entre os dedos, onde a umidade é maior, mais conhecida por frieira (Ecas!). São produzidas lesões vermelhas que coçam. Por sorte, os fungos vivem nas camadas exteriores da pele e não invadem o seu organismo.
Mais uma vez!

Pode-se correr com isso? Sim. Mas cuide do seu par de tênis e deixe os seus pés darem uma arejada...

Unha zuada (eu já me encaixei nesse item) é causada pelo acúmulo de sangue abaixo da unha a descolore e pode causar pressão e dor, porém, de modo geral, não dói. Na maioria dos casos a unha acaba caindo. :(

E... tcharam! Pode-se correr com isso? Poder, pode. Mas se o dedo doer então será melhor dar um tempinho... E da próxima vez preste a atenção!

Bolhas? Isso mesmo! Aquelas bolinhas cheia de aguinha que aparecem nos pés e a gente fica louco para furar.

Mais uma vez! Pode-se correr com isso? Se não doer, força aí! 

Joanete é um crescimento ósseo no lado da base do dedão. A pressão do tênis e o movimento nesta articulação podem causar dor. Joanetes gradualmente ficam piores até o ponto que correr, e até caminhar, tornam-se atividades doloridas.

De novo! Pode-se correr com isso? Sim, a menos que estiver doendo.

Esporão calcâneo é um relevo ósseo atrás do calcanhar é chamada de esporão calcâneo. Mais freqüentemente relacionada a um arco do pé elevado, a proeminência óssea espreme-se contra a parte do calcanhar do tênis de corrida. Tanto o tendão como os tecidos moles podem ficar inflamados e doloridos quando isso acontece.

Isso está ficando repetitivo... Pode-se correr com isso? Bem, vai depender do grau da inflação e da dor.

Unha encravada quase sempre ocorre no dedão e dói, assim como perigo de infecção onde ela encrava na pele. Se acontecer uma infecção, ela pode se espalhar pelo seu pé ou outras partes de seu corpo. Affff!

Como é que é? Pode-se correr com isso? Quase sempre sim.

Metatarsalgia resulta em dor na parte frontal do seu pé, na área dos ossos metatarsal - aqueles que se conectam aos seus dedos. Embora pareça que a dor é em toda a parte frontal do pé, geralmente é apenas sob um dos metatarsals. Você pode encontrá-lo apertando embaixo de cada um dos metatarsals até encontrar aquele ponto que o faça pular de dor. Você também sentirá uma calosidade ali. Metatarsalgia pode lhe fazer sentir como se estivesse andando sobre uma pedrinha.

Nem vou perguntar! Se não doer, manda a ver! Mas se você correr, tenha em mente de que o impacto contínuo pode resultar em fratura de estresse no metatarsal lesionado. E aí já era!

Neuroma é uma dor na parte frontal do pé entre o terceiro e quarto dedos, com perda de sensibilidade ou formigamento extendendo-se por esses dedos, quase sempre indica um neuroma. Um neuroma dói mais quando você está calçado e melhora quando tira o tênis e massageia seus pés. Neuromas ficam gradualmente mais doloridos.

E, já vou logo dizendo que sim, mas é melhor esperar até a irritação no nervo passar antes de fazer treinos mais longos.

Fasceíte Plantar (olha eu de novo!) Este é um dos problemas mais comuns nos pés dos corredores. Geralmente começa como uma dor leve ou sensibilidade na área da sola do pé próxima ao arco ou ao calcanhar. Você sentirá que seu pé doerá mais cedo de manhã, mas melhorará a medida que se aquecer durante o dia. Você também notará dor depois da corrida.

Pode-se correr com isso? Xiiiiii! Pode, mas depende da gravidade.

Sesamoiditis (que raio que é isso?). Abaixo da parte frontal do seu pé, sob a articulação que move o seu dedão, há dois pequenos ossos chamados sesamoid. Estes ossos podem ficar lesionados e inflamados, o que fará com que você sinta como se estivesse caminhando sobre uma pedra. A dor geralmente é aguda, e a área dói sempre que você toca ou pisar com ela.

Pode, pode , pode? Provavelmente. Mas se a dor for muito forte, sossegue o facho por alguns dias.

Fraturas por estresse (esse é a treva!!!) são a quebra parcial ou fissura em um osso. Nos pés, a fratura de estresse ocorre no segundo, terceiro e quarto metatarsal. Doerá se tocar no topo de pé, caso não doa, você não tem fratura de estresse.

Ainda vai perguntar? Meu, você é louco!!!


Você lembra desse cara aí em cima??? Hã???

Baita post, hein! Olha, isso tudo foi uma pesquisa beeeeem superficial pela rede, maiores dúvidas ou se por acaso sentir alguma coisa, nada como procurar um médico (a minha ortopedista e o meu fisioterapeuta são bem legais). Ah, as fontes! Além da wikipedia, Webrun, Copacabana Runners e O2.

Ivs

6 comentários:

  1. Os meus estão bem rsrs (fora um neuroma). Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Ivana, dá até medo de ler e ver que existem tantas lesões possíveis para o corredor. O jeito é cuidar daquele que te proporciona tanta endorfina. =]
    Resposta da tua pergunta no blog Correndo de bem com a vida;
    Ivana, vale a pena fazer o teste de postura. A maioria das clínicas de fisioterapia realizam este exame. Eu fiz em Floripa (sou mané da ilha). Como tinha convênio com a minha assessoria paguei apenas R$ 30,00, mas é baratinho. beijão, Helena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente tem que se cuidar, né???
      Abração!!!
      Ivana

      Excluir
  3. Doutora será que posso correr assim todo ferrado como estou? rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa!!!!
      Mas com cuidado, hein!!!
      Se cuida!!!!
      Abração!!!
      Ivana

      Excluir